A simplicidade do amor – com Stephanie e Lucas

O amor é um dos presentes mais valiosos que recebemos, tanto que a Bíblia é muito enfática ao dizer que tudo o que fazemos aqui perde o valor se tais ações não vierem carregadas de um sentimento genuíno. Grandes histórias de amor às vezes surgem de forma simples e calma, a partir de uma observação. (Talvez você só precise prestar mais atenção). É nesse cenário que apresentamos o amor de um casal que teve início em um culto de jovens.

Stephanie e Lucas já se conheciam devido os trabalhos na igreja, mas até o ano de 2018 não tinham conversado. Foi então que Stephanie recebeu o convite para louvar no culto da UMADESB em meados de abril, e algo mudou no coração do Lucas: “eu me impressionei… Eu falei: caramba, que linda!”. A partir daquele dia, ele passou a se interessar mais por ela e, muito esperto, mandou mensagem elogiando o louvor dela.

“Eu a conheci na igreja cantando, fazendo o que ela faz de melhor (porque ela canta demais!), me apaixonei por ela assim… Na igreja”.

Os dois fazem aniversário no mesmo dia (24 de maio) e foi nesta data que tudo começou a mudar realmente, quando ambos se parabenizaram e a conversa passou a fluir. Lucas conta que foram se conhecendo aos poucos, e no mesmo ano de 2018 aconteceu um retiro dos jovens onde ele teve a oportunidade de observá-la melhor. Ali, após alguns meses orando, os dois tiveram a confirmação de que precisavam.

“Nós oramos muito a Deus para dar tudo certo, nós fomos ao retiro e lá nós tivemos a resposta de Deus que esse namoro seria um presente dEle, iria ser um fruto”.

Stephanie conta, entre risos, que em agosto ele foi até a casa de seus pais para pedi-la em namoro e para surpresa dele, se deparou com o pai dela segurando um facão: “sério, de verdade, o Lucas ficou assim sem reação nenhuma, mas a relação entre ele e a minha família sempre foi de respeito, reciprocidade; minha família o ama demais”. Nas palavras de Stephanie, o Lucas é a resposta da oração da família dela.

Dentre vários momentos marcantes dos dois, Lucas destacou a data em que a pediu em namoro: “Eu já tinha feito esse pedido para os pais dela né, que foi no dia 12 de agosto, mas eu queria fazer na mesma semana algo eu e ela, e aí a gente saiu pra jantar junto e ali eu já comprei também as alianças e fiz um pedido pra ela ali, eu e ela. E eu acho que foi um momento inesquecível, foi incrível, então eu tenho guardado isso na mente”.

Confira abaixo, alguns trechos da entrevista:

O que te fez ter a certeza de que a Stephanie era a mulher da sua vida?
Acaba até sendo simples, é que depois de conversar com ela e conhecê-la, eu percebi que ela seguia o mesmo caminho que eu. Então isso me fez ter certeza que ela era a mulher da minha vida. Ela trilhava e trilha até hoje o mesmo caminho que eu, tem os mesmos conceitos, o mesmo ideal, segue os mesmos valores.

Como lidam com as divergências de personalidade?
Bom, isso é normal né? Cada um tem a sua personalidade, não tem como ser igual ao outro e entre a gente não é diferente. Um é mais estressado, outro é mais calmo; um fala mais, o outro fala menos; um é mais rápido, o outro é mais lento. E claro que no inicio isso foi complicado porque a gente ainda estava se conhecendo, então talvez no início a gente esperava uma coisa do outro mas não era isso, mas no passar do tempo a gente foi se conhecendo tão bem que hoje a gente se lida super bem. Hoje, isso pra gente já não é mais um problema, a gente só de olhar um para o outro consegue saber se está bem ou se não está, se é o momento bom pra falar ou se é o momento pra ficar calado.

O que mais evoluíram como casal?
Primeiro que a gente amadureceu bastante. Eu acho que a maior evolução talvez esteja ligada à parte da compreensão. Acho que foi uma grande evolução porque hoje nós não temos nenhum problema um com o outro do que o outro tem que fazer ou deixar de fazer, a gente é bem compreensível. Então eu acho que é uma das maiores evoluções nossa, de não ficar interferindo tanto, mas compreender e entender tranquilamente o que um ou outro faz, e claro né, além de compreender a gente aprendeu muito também a sempre dialogar um com o outro. Acho que a questão tanto da compreensão como da comunicação foi essencial.

Como administram os compromissos com Deus, com a igreja e o namoro?
Olha, isso foi algo que a gente estabeleceu desde o início. A gente nunca deixou de cumprir as nossas responsabilidades espirituais na igreja por causa do namoro, nunca deixamos de perder culto pra, sei lá, sair e fazer alguma coisa. A gente sabe dividir bem. Temos os nossos dias, são poucos, mas a gente sempre escolhe dias que não vai ter nenhum compromisso na igreja. Hoje eu me sinto muito melhor, bem mais realizado, porque é uma pessoa que está sempre me apoiando no meu ministério, na igreja, sempre me ajudando, então na verdade nunca atrapalhou, pelo contrário, isso só evoluiu e nos fez crescer espiritualmente.

Stephanie, qual conselho você daria para um casal que está iniciando uma relação?
Se eu pudesse aconselhar hoje a juventude, eu diria pra sempre se manter em oração, pedir sempre um direcionamento a Deus, manter sempre o foco na Palavra e sempre manter a verdade, sempre contar tudo que você já fez, quem você é, por onde você andou, o que você gosta e o que não gosta de fazer, o que já aconteceu na sua vida desde quando você nasceu, pra pessoa que vai começar a se relacionar com você saber quem realmente você é, pra que na frente, no futuro, ela não olhe para trás e pense “Quem é essa pessoa que eu não conheço?”. É sempre interessante você já deixar tudo em pratos limpos, que foi o que eu fiz com o Lucas, contei toda a minha vida para ele desde o zero, e ele também contou a vida dele pra mim desde o zero e foi assim que a gente começou a dar certo. Começamos contando tudo, descarregando tudo pra depois Deus ir dissolvendo e costurando as nossas feridas, e colocando tudo no lugar; e foi basicamente um quebra-cabeça que nós acabamos montando junto e estamos aí até hoje.

Lucas, qual conselho você daria para um casal que está iniciando uma relação?
Bom, sobretudo, é mais do que importante que os dois tenham o mesmo propósito, e, além disso, que sigam o mesmo caminho, porque se não tiverem o mesmo propósito e não seguirem o mesmo caminho, infelizmente não vai dar certo; vai chegar uma hora que vai haver conflito. Então o conselho principal seria esse: ter o mesmo propósito, seguir o mesmo caminho, crescer espiritualmente juntos porque a questão não é só um ir, os dois tem que estar bem espiritual juntos porque querendo ou não, se um não estiver bem, pode ser que o outro acabe não ficando também.

O Conexão agradece a participação do casal #Stelu e deseja não somente nesta data especial, mas durante toda a vida juntos, um relacionamento abençoado e feliz.
Feliz dia dos namorados!

Compartilhar: