Eu sou um milagre de Deus e vivo pela misericórdia do Senhor


Maria de Fátima, da Igreja Assembleia de Deus Ministério do Belém, foi diagnosticada com câncer ainda jovem, quando tinha 34 anos e novamente com 56. Hoje aos 60 anos, a irmã Fátima, como é chamada carinhosamente em sua congregação do Jardim Das Orquídeas, relata ao Conexão como foi enfrentar esta doença.

Irmã Fátima
Foto por: Gabrielle Rodrigues

Em seu primeiro câncer, Fátima conta que ao fazer o exame de toque na mama em sua casa, sentiu um caroço e logo decidiu ir ao posto de saúde, na Vila Alpina, onde morava na época. No posto afirmaram que havia um nódulo, porém, era necessário investigação. Então a encaminharam para o Instituto Brasileiro de Controle ao Câncer (IBCC).

Já no IBCC, o médico disse a Maria de Fátima que seria necessário fazer uma operação, pois o câncer estava indo para o pulmão. A sua maior preocupação naquele momento era o seu filho de 9 anos.

“Naquele momento o chão sumiu dos meus pés, não por medo de morrer, mas medo de deixar meu filho sem mãe”, conta irmã Fátima.

Foram anos de tratamento, diversas sessões de quimioterapia e radioterapia. Exames, procedimentos e medicações, mas ela não deixou se abalar. Na época, ela ainda não era evangélica, mas já buscava a misericórdia do Senhor em sua vida.

“Nós temos que pedir diretamente pro Pai, com o Pai não tem intercessor é direto com ele!“.

Eu já era escolhida dele

No ano de 2001, através de uma irmã, o Espírito Santo trabalhou o coração de Fátima e foi em um congresso de jovens que ela aceitou a Jesus.

Após aceitar a Cristo, Maria de Fátima vive seus dias para glorificar o Pai que fez maravilhas em sua vida mesmo antes dela o conhecer. E em 2015, com um novo diagnóstico de câncer ela teve a certeza de que a situação que iria viver seria apenas para testificar mais uma vez o amor de Deus em sua vida.

“O câncer apareceu de novo há 4 anos atrás. Ele se manifestou após uma queda que levei da escada. Recebi 24 pontos na cabeça. Foi um livramento muito grande”, diz Fátima.

Assim como da primeira vez, ela passou por uma forte quimioterapia, mas estava diferente. Agora sabia quem estava com ela: o Deus do impossível!

Estou curada por Jesus Cristo

Ao perguntar para a irmã como ela se sente atualmente, ela diz que curada. Mesmo em meio ao seu último ano de acompanhamento com o oncologista ela testemunha que para os médicos da terra ela ainda não foi liberada e precisa fazer exames semestralmente até completar os cinco anos pós cirurgia. Mas segundo o seu médico do céu, Jesus, ela já está de alta.

“Está tudo bem, pois quem me curou foi Jesus! O médico dos médicos!”, testificou ela.

Jesus olhou para eles e respondeu: – Para os seres humanos isso não é possível; mas, para Deus, tudo é possível. Mateus 19.26

Compartilhar: