Filipenses 4.6-8
6 – Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.
7 – E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.
8 – Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude e se há algum louvor, nisto pensai.

Alguns dias atrás eu ouvi um conselho que me fez parar. Mas essa pausa não está ligada à desistência, e sim a um respiro. Às vezes, estamos tão acelerados e embaraçados com as mil e uma tarefas e informações que vêm sobre nós ao longo do dia, que não paramos para pensar em nós e como está o nosso relacionamento com o Pai.

Sentada à mesa de uma cozinha, numa segunda-feira, eu parei para respirar e de repente a resposta que eu tanto precisava veio ao meu encontro. Tudo desacelerou. Eu ouvi a seguinte frase: “Toda casa tem um quartinho ou cantinho da bagunça, onde colocamos coisas que não usamos mais, e nossa mente também é assim”. Enquanto a pessoa que estava conversando comigo ia falando, eu senti o Espírito Santo ministrando ao meu coração e a minha visão foi clareando.

A todo o momento acumulamos coisas nesse “quartinho”… Lembranças ruins, sentimentos negativos, palavras lançadas que nos feriram, até mesmo pensamentos irreais que a nossa própria mente cria, enfim… Juntamos tantas coisas ruins até chegar o momento que o espaço acaba e essa bagunça invade outros cômodos da casa. Só então percebemos o quanto aquela sujeira, toda a poeira estava deixando nossa visão turva. A limpeza precisa ser feita!

Não vou negar, é doloroso fazer uma faxina bem feita em nossa mente, mas eu tenho uma ótima notícia: Não estamos sozinhos! O Espírito Santo tem todas as ferramentas necessárias, todos os produtos que precisamos para deixar a casa organizada e com brilho novamente, e ainda tem o remédio certo para cada dor que aparecer durante o percurso.

Quando estava retornando para a minha casa, após essa conversa, eu supliquei a Deus assim como diz o versículo 6 citado no início. Eu agradeci a Ele por tanto cuidado e amor demonstrado por mim, porque mesmo com a minha fé minguando Ele lutou pela minha vida. Em seguida eu clamei ao Espírito Santo, ali na rua mesmo, e entreguei todos os meus problemas e sentimentos em suas mãos. Pedi que Ele me acompanhasse até o “quartinho” porque sozinha não conseguiria. E Ele foi. Ele tem ido diariamente e a paz, a paz que excede todo o entendimento inundou o meu coração.

Hoje, me deparando com o versículo 8, lembrei que temos outro cômodo e que muitas vezes esquecemos ou deixamos de lado. É o cômodo em que decoramos com as virtudes do Espírito, o qual vamos depositando as coisas boas que adquirimos mediante o relacionamento com Ele. E diferente do outro, este devemos nos preocupar se as “decorações” estão invadindo os outros cômodos ou não. Quanto mais nos relacionamos com Deus, mais nossa mente será ocupada por coisas que nos fazem bem, que colorem cada cantinho outrora dominado pela poeira.

A pergunta que fica é: qual cômodo você está “decorando” mais?
Dê uma pausa. Respire. Separe um tempo para se encontrar com o Amigo Espírito Santo e peça para que Ele te acompanhe até os quartinhos que existem em você. Se desligue de tudo aquilo que tem tirado a sua paz e te deixado inquieto, leia a Palavra e suplique.
Se puder, faça isso todos os dias, pode ter certeza que valerá a pena e você sentirá a mudança.

Compartilhar: